terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Esclarecimento


A propósito do post que escrevi ontem, o(a) leitor(a) comentou:

"Bem formadas e informadas??" Quer dizer que se não amamentarem não são bem formadas?? hummm...Dislike.

Resposta:
O anónimo não leu bem, quis dizer exatamente o que escrevi, ou seja, que as mães que amamentam são de facto mães bem formadas e informadas, nisso acho que somos capazes de concordar, não acha?
Não disse obviamente o contrário. Até, inclusive, se ler mais abaixo nos comentários mostro-me bem compreensiva com as mães que optam, independentemente dos motivos, pelo leite adaptado.
beijinho


Acho que preciso fazer lembretes esporádicos, sobre este assunto. Entendam que só conheço uma experiência: a amamentação, pelo que é pela amamentação que falo, é o "peixe" que sei apregoar... Com isso não quer dizer que relativize ou coloque em causa o amor e cuidado das mamãs que dão leite adaptado.
Contudo, peço que compreendem que não venho para aqui falar de biberões, medidas de leite em pó e água fervida... simplesmente porque não é a minha realidade!
O meu intuito é apenas defender a amamentação... ponto final e não "atacar" o leite adaptado!

13 comentários:

  1. Eu tb não ataco quem não dá leite adaptado, mas como sabes trabalhei quase dez anos numa pediatria e a verdade é que as primeiras mães a desistir são mesmo as que não estão bem informadas e pior as que em vez de pedirem ajuda a quem sabe, vão na conversa das mães e das sogras que dizem que o leite é fraco e tal.
    Eu considero-me uma ma~e bem informada, mas acho que qt mais ler, mis sucesso vou ter na minha jormada. Achei que ai dar mama ao Edu 4 anos não tinha maisnada a aprender e olha agora toma lá gémeos e qd eles nascerem, vais ter que voltar a ler, a pesquisar e a lutar.
    Beijocas

    ResponderEliminar
  2. Informação é saber que o leite materno é o melhor para o bebé, ponto. Mas com essa informação, cada um faz a escolha que quer: amamentar, ou mesmo assim dar leite adaptado (e falo nas que o fazem por escolha própria, não porque alguma coisa as impediu de amamentar, porque essas não têm escolha).

    Que raio de coisa, andam sempre a "atacar-te" com comentários estúpidos!

    ResponderEliminar
  3. Eu também acho que grande % das mães , tipo 97% das que optam pelo L.A. é porque de uma forma ou de outra não tiveram a ajuda, a informação certa.
    Há certamente uma outra pequena percentagem que apesar de muita leitura e saberem teoricamente tudo o que há a saber sobre os beneficios da amamentação ainda assim escolhem o L.A. e estão satisfeitas e conscientes com esta escolha, acho muito bem!
    :D
    beijinhos

    ResponderEliminar
  4. uiiiiiiiiiiii ha por ai tanta mãe bem formada e informada que opta conscientemente pelo LA do que pela amamentação......

    ResponderEliminar
  5. Olha já eu não compreendo como é que uma pessoa bem informada àcerca da amamentação opta por não amamentar. Mas que mãe é que opta por não dar o melhor ao seu bebé? É que nem estamos a falar em dar o melhor carrinho de bebé nem roupas das melhores marcas, estamos a falar do melhor alimento que existe para o bebé e que ainda por cima é gratuito!!!

    ResponderEliminar
  6. Os dias pós-parto são um momento bastante conturbado para uma mãe: para além do seu corpo não ter recuperado totalmente e ainda estar a fervilhar com hormonas, tem o stress de cuidar de um ser pequeno e indefeso, muitas vezes com os que a rodeiam a pressionar-lhe a fazer assim, assado, frito ou cozido. Dar de mamar ansiosa, angustiada, contra-vontade, ou com uma depressão pós-parto é tão ou mais prejudicial para o bebé do que dar leite adaptado. Para um bebé crescer saudável precisa não só de nutrientes, mas também de carinho, e de uma mãe bem consigo própria, capaz de cuidar do seu filho. Lembrem-se que o bebé sente a angústia da mãe. Acho que se devem informar as mães dos benefícios do aleitamento materno, incentivá-las, e proporcionar-lhes ajuda para facilitar o processo. A partir daí devem ser elas a decidir. Nem todas temos vivências iguais, pelo que carinho e compreensão nesta fase frágil é mais importante em relação a este tema. :)

    ResponderEliminar
  7. Concordo com o anonimo das 17.58 :) Sou completamente a favor da amamentacao ... contudo, sou a favor tb do livre arbitrio da mãe e da escolha consciente. Nao critico quem amamenta ate aos 2 anos, do mesmo modo que nao critico quem nao amamenta sequer. Em ambos os casos, as maes querem os mehores para os filhos, e nao e por nao amamentar que sao menos (boas) maes. ha sim que continuar o incentivo, a educacao, a informacao sobre a amamentacao e os seus beneficios.

    ResponderEliminar
  8. Concordo plenamente que uma mamã bem formada e informada opta pela amamentação. Mas há muitas que não, e nessas que não é uma minoria as que são formadas e informadas e que ainda assim optam por não amamentar. Eu, tal como tu, defendo a amamentação e acho que o primordial é proporcionar o melhor ao nosso filho, e se estivermos bem de saúde, isso passa pela amamentação. No entanto sei que a nossa ilha ainda está muito mal a nível de incentivo na amamentação e de colocar "as cartas na mesa" e tentar encontrar e conciliar o melhor para mãe e filho quando as coisas correm menos bem, tentando sempre que o fim seja a amamentação. A nossa terra ainda está muito "primata" no que toca a essa matéria e a resposta e solução ao mínimo problema, à mais pequena complicação, é um biberão de LA! Infelizmente é uma realidade bem frequente, e que até eu passei. Só que sou mais teimosa que eles. "Não quer mamar agora?! Mama mais logo...estou aqui o dia todo por isso não tenho pressa...", isso quando o meu filho não queria mamar e elas impingiam-me o biberão de LA! Como se fosse o melhor para ele e eu estivesse a ser egoísta e muito má mãe por estar a seguir um "ideal"... Falta muita formação a esse nível, eu sinto que fui mais bem preparada do que elas estavam para me incentivar com a amamentação e ultrapassar as adversidades que com essa opção podiam advir!

    ResponderEliminar
  9. Eu estou muito bem informada sobre os benefícios do leite materno, estou grávida, e optei por não amamentar. Tenho montes de primas não foram amamentada e estão "transpirar" saúde. Eu sou a mais velha de 4 irmãos, a única que teve leite materno e que com 31 anos sempre foi a mais problemática em termos de saúde. Sou completamente descrente que a amamentação aproxima mais e filho...
    Sei que o leite materno tem os seu benefícios mas não acredito que seja crucial para a saúde da criança.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E diz-se bem informada? Ainda bem. Desculpe discordar mas isso não é estar bem informada.
      Outro apontamento: os benefícios da amamentação na saúde não se pode comprar entre indivíduos diferentes, pois as suas primas serão fisiologicamente mais resistentes que a Anónima; mas seriam mais ainda se tivessem bebido LM e a senhora Anónima seria bem mais débil se não tivesse sido alimentada por LM.

      Eliminar
  10. É pena, que ainda grávida e dizendo-se informada tenha tomado uma opção tão infeliz, pois o que não falta é informação acerca dos riscos associados ao Leite Adaptado. Não dar de mamar é uma opção, que quando consciente, não pode ser de quem quer o melhor para o seu bebé. Mas a informação é um mundo e nem toda agente tem acesso a toda, daí, dou-lhe o beneficio da dúvida. Espero que ainda tenha tempo de se informar e melhor e optar por dar ao seu bebé o melhor alimento do mundo, porque amamentar pode ser uma opção da mãe, mas mamar devia ser sobretudo um direito do bebé
    "RESUMO: Neste artigo fez-se uma revisão dos riscos associados à alimentação das crianças com leite artificial, nomeadamente dos riscos
    para a criança, para a mãe, para o ambiente e para a sociedade. Na criança está aumentado o risco, entre outros, de mortalidade,
    gastroenterite aguda, otite, infecção respiratória baixa, asma e atopia, doença celíaca, diabetes mellitus tipo 1, doenças
    inflamatórias do intestino, leucemias agudas e linfomas, obesidade, diabetes mellitus tipo 2, hipertensão arterial e colesterol,
    morte súbita do lactente e má-oclusão dentária. Na mãe está aumentado, entre outros, o risco de cancro da mama, cancro
    do ovário, obesidade, enfarte agudo do miocárdio, diabetes mellitus tipo 2, depressão pós-parto, doença da vesícula biliar e osteoporose.
    Para o ambiente, alimentar com leite artificial aumenta o consumo de recursos que começam a escassear, e a acumulação
    de lixo não-biodegradável. Para a sociedade, há repercussões nos orçamentos familiar e do estado e consequências
    relacionadas com a alteração da vinculação mãe-bebé.
    Procurou-se com este artigo reforçar a importância da promoção, protecção e apoio do aleitamento materno."

    ResponderEliminar
  11. Interessante que nenhum destes efeitos secundários do Leite Adaptado foi registado enme na minha mãe (que teve 9 filhos) nem pelas minhas tias que também não deram leite materno (simplesmente, umas porque o bebé rejeito, outras porque o leite secou)....
    Nunca vi o leite adaptado fazer mal a uma criança, nem tão pouco o leite materno gazr tão bem a um bebé. Até porque todos este riscos que mencionou, causados pelo LA, não são raros nos bébes de LM.

    ResponderEliminar

Lilypie Premature Baby tickers